Conteúdos

 Fundamentos Psiconeurológicos dos Factores Psicomotores

Podem ser distinguidos sete factores Psicomotores: a Tonicidade, a Equilibração, a Noção do Corpo a Lateralização, a Estruturação Espácio-temporal, a Praxia Global e a Praxia Fina. Estes factores estão inter-relacionados, influenciando-se mutuamente e estão organizados em termos de complexidade crescente, podendo actuar em conjunto ou separadamente, numa determinada acção.

  • Tonicidade

A tonicidade caracteriza-se por um fenómeno hiper-complexo, que permite o suporte da postura e é regulador e modulador da acção.O estado tónico é responsável pela organização e função das estruturas neurológicas (medulares, sub-corticais e corticais). As principais funções deste estado são a expressão emocional e relacional, as actividades motoras básicas e as funções de alerta, atenção e vigilância. Um certo nível tónico é indispensável a qualquer actividade mental, da mesma forma que um certo nível tónico-postural é indispensável à preparação de qualquer movimento voluntário.

  • Equilibração

A equilibração é uma condição básica da organização psicomotora, visto que envolve uma multiplicidade de ajustamentos posturais antigravíticos, que dão suporte a qualquer resposta motora.Quando os centros superiores são forçados a entrar em acção para manter a postura, as potencialidades de aprendizagem diminuem. O cérebro para estar mais apto para aquisições mais complexas, tem necessidade de transferir as funções motoras mais simples para centros automáticos daí a repercussão dos problemas posturais em todas as funções de aprendizagem, sejam psicomotoras ou psicolinguísticas.O sistema vestibular influência também as funções emocionais e o comportamento, dadas as suas conexões com o sistema límbico. A insegurança postural ou gravitacional gera instabilidade emocional, hiperactividade, ansiedade e distractibilidade.

  • Lateralização

A Lateralização caracteriza-se pela função Psicomotora que integra os dois lados do corpo, permitindo uma melhor orientação no mundo exterior, relativamente ao seu corpo. É governada por factores genéticos, embora a treinabilidade e os factores de pressão social a possam influenciar.Os dois hemisférios cooperam ao longo da ontogénese, mas progressivamente, com a idade e com a acumulação da experiência, especializam-se. Um nos conteúdos não simbólicos (hemisfério direito assegura o controlo do corpo, da motricidade e os processos de comunicação não verbal) e o outro nos simbólicos (hemisfério esquerdo assegura o processamento das imagens, dos símbolos e dos conceitos).A integração bilateral sensório-motora vai produzir efeitos de especialização funcional, que traduzem posteriormente as diferentes capacidades de processamento da informação dos dois hemisférios. Para chegar a este nível de integração é necessário, que o corpo possa funcionar como duas metades sensório-motoras integradas. Só depois desta integração intra-hemisférica se torna mais fácil a diferenciação de duas partes, atingindo-se então uma coordenação entre ambas, da qual resulta a integração inter-hemisférica única da espécie humana.

  • Noção do corpo

A Noção do Corpo é uma representação mental, que consiste na integração das partes do corpo que participam no movimento, e das relações que elas têm de estabelecer entre si e os objectos externos.A noção do corpo deve ser reconhecida como resultante da organização do input sensorial (táctilo-cinestésio, vestibular e proprioceptivo) numa imagem interiorizada e estruturada, de onde emerge uma representação mental, que em si, se constitui num marco de referência interna que precede todas as relações com o exterior.

  • Estruturação Espácio-Temporal

A estruturação espácio-temporal envolve basicamente a integração de dados espaciais, mais referenciados com o sistema visual (lobo occipital), e de dados temporais, rítmicos, mais referênciados com o sistema auditivo (lobo temporal). A estruturação espácio-temporal, fornece os instrumentos psicomotores básicos da aprendizagem e da função cognitiva, dado que nos fornecem as bases de pensamento relacional, a capacidade de ordenação e de organização, a capacidade de processamento simultâneo e sequencializado da informação, a capacidade de retenção e revisualização, isto é, de rechamada do passado, de integração do presente e preparação do futuro, as capacidades de representação, de quantificação e de categorização, etc.

  • Práxia Global

A praxia global refere-se aos movimentos de todo o corpo e de grandes segmentos corporais. A praxia global envolve a organização da actividade consciente e a sua programação, regulação e verificação. Esta unidade funcional é a expressão da informação do córtex motor, como resultado da recepção de muitas informações sensoriais, tácteis, quinestésicas, vestibulares, visuais, etc, ou seja, como resultado integrado dos factores psicomotores já apresentados.

  • Praxia Fina

A Motricidade Fina refere-se aos movimentos precisos das mãos e dos dedos.A praxia fina evidência a velocidade e a precisão dos movimentos finos e a facilidade de reprogramação de acções, à medida que as informações táctilo-perceptivas se ajustam às informações visuais. As informações visuais participam como mobilizadoras iniciais dos programas de acção, daí a sua contribuição como funções de detecção de limites, contornos, formas, pormenores, etc., e com funções de estabilização de posições e direcções, a fim de proporcionar a coordenação dos dados captados visualmente com os dados captados manualmente.